Blog do Hala

Pelo Mundo Afora

A gente brinca e reclama, mas as coisas funcionam…

with 2 comments


Aqui no Blog do Hala a gente zoa com as coisas que ve, faz piada, etc, mas como o Paulo colocou no post sobre Customer Service, verdade seja dita: as coisas funcionam por aqui. Ate politico!!!

O Acidente

Ha mais ou menos uns 2 ou 3 meses, estava dormindo e a Elaine assistindo televisao, por volta de meia-noite, quando um barulho de pneu cantando comecou. Acordei e pensei: “La vem outro acidente”. A nossa casa da de fundos para uma intersecao razoavelmente movimentada, e acidentas nao sao incomuns. Dito e feito: a cantada do pneu seguiu uma serie de batidas, com um “crash” final. Meio sonolento, levantei da cama, olhei pela janela, nao vi nada na rua. Resolvi descer para olhar, a Elaine correndo que nem doida para falar que o cara tinha batido no nosso quintal, dava para ver o farol do carro…

Corri para colocar uma roupa (so um casaco, sai de calca de pijama mesmo), enquanto a Elaine ligava para 911. Sai pelo quintal para ajudar o cara, enquanto no 911 falaram para a Elaine para nao mexer na pessoa dentro do carro. Quando cheguei perto do carro, tinha uma pessoa ja ajudando do outro lado, e tinha fumaca no carro. Abrimos a porta para a fumaca sair (a fumaca na verdade era o talco do Airbag). Quando abri a porta do passageiro, vi copos de plastico no chao – parecia bebida.

Fiquei p&%$#….  So o que me falta, um bebado destruindo a minha cerca. Ja pensei que ia ser uma confusao com o seguro, consertar a cerca, etc…

acidente_quintal

Vai uma cerca usada ai? Alguem interessado? Ou um carro com "pequenos amassados"?

Policia

A primeira policial chegou em literalmente um minuto (tudo bem que parece que um cara ja estava no telefone com 911, pois o cara ja tinha causado outro acidente). De qualquer maneira, ela foi rapida. A policial foi durona. O cara ja foi tirado do carro direto para o “back do camburon” (nao, a palavra Camburao nao existe aqui, eh neologismo meu, mesmo…).

Depois que limparam a cena, levaram o carro embora, um policial veio aqui em casa, pegou nosso depoimento, e eu ja estava com o numero do boletim de ocorrencia nas minhas maos – 1 hora depois do acidente.

Tudo isso ocorreu numa 5a. feira.

Na 6a. feira tentamos entender qual era a melhor coisa a ser feita, se era contactar nosso seguro, ou tentar pegar o nome do cara e processar o cara (descobrimos que o Canada nao eh a terra dos processos, que nem os EUA), etc.

Politicos

Esse problema ja tinha acontecido no passado, devido ao movimento na rua, e um outro vizinho e eu ja tinhamos contactado a nossa vereadora. Eles tinham mandado policia ver os limites de velocidade, e construiram uma divisao de cimento no meio da rua. Obviamente, nao foi suficiente.

No DOMINGO, eu mandei um e-mail para as duas vereadoras responsaveis pela nossa area da cidade, e recebi uma resposta das duas (uma delas menos de uma hora depois que mandei o e-mail), dos seus Blackberrys, dizendo que iam fazer algo.

Na 2A. FEIRA, a assistente de uma das vereadoras entrou em contato comigo pedindo uma data que eu poderia me reunir com ela e um engenheiro de trafego da cidade.

Na 6a. FEIRA, no meu quintal, estavamos nos reunindo: duas vereadoras, um engenheiro de trafego e um supervisor de obras da prefeitura. Uma das vereadoras eh uma velhinha de uns 413 anos de idade, e estava la, debaixo de um sol e calorao. O mais interessante eh que a reuniao era com gente que podia TOMAR DECISAO, nao qualquer mane que vai “levar o assunto para discussao na prefeitura”. No final da reuniao, ja tinhamos decidido que eles iriam aumentar a altura da guia (para os paulistas) ou meio-fio (para o resto do Brasil) para a mesma altura que se usa em estradas, e iam colocar “pedras decorativas” atras das nossas cercas, para proteger ainda mais. O mais legal foi que o engenheiro de trafego explicou tudo que pode e nao pode ser feito, e para os que nao imaginam, esse negocio de placas, “guide-rails” (sim, nao eh “guard-rails”, se alguem quiser saber o porque eu explico), etc, eh quase uma ciencia, eh muito bem pensado.

3 SEMANAS depois disso as obras comecaram. Infelizmente, eles fizeram a guia/meio-fio MUITO ALTO, depois tiveram que voltar para diminuir para o tamanho certo (dizem que os canadenses sao os portugueses que deram certo…).

7 SEMANAS depois instalaram as “pedras decorativas”, uns pedregulhos grandes que podem ajudar os carros a nao bater nas nossas cercas.

cerca_nova

Fizeram todo o servico... depois voltaram para cortar o que tinham feito... Tudo bem, vai, pelo menos foi feito com prometido!

No Brasil

Fiquei imaginando como teria sido essa experiencia no Brasil: sera que o vereador iria responder meu e-mail no domingo? Sera que a assistente do vereador iria marcar uma reuniao, com todo mundo que toma decisao, na mesma semana?

Tudo bem que eu fui com o argumento de “a vizinhanca esta preocupada…”, e pode ser que as vereadoas pensaram que poderiam perder votos… mas a realidade eh que fui eu, euzinho da Silva, um cidadao so, que contactou os politicos, que fizeram a coisa funcionar.

Nunca tive experiencia direta com politico no Brasil, mas um amigo virou assistente de um vereador no interior de SP. Pelos papos que eu ouvia dele, acho que o unico argumento que iria funcionar era: “Oha, eu tenho que consertar minha cerca, se vc fizer essas reformas na rua, eu super-faturo o meu conserto, que seria de 2 mil para 5 mil, te dou 3 mil, e vc manda a prefeitura consertar tudo aqui, OK?”.

Resposta pelo Blackberry do vereador em 5 MINUTOS: “aumenta o conserto para $10 mil que eu aprovo TUDO na prefeitura, e ainda ponho um outdoor no seu quintal que vai te dar uma graninha por mes…”.

Written by brunosamuel

November 14, 2009 at 1:11 pm

Posted in Memorias...

2 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. Ih meninos !!!
    Nem quero comentar … To bem de Brasil …
    Depois da última edição do ” Economist ” ?
    Nem me atrevo .
    Só posso dizer que estou aqui na terrinha cuidando do meu neto de 45 dias .
    Se pudesse , colocava todos no avião e ia embora amanhã .

    Sandra

    November 17, 2009 at 12:50 am

  2. Ola Sandra, pois eh, sabemos como eh isso…

    Como diz um outro brasileiro amigo meu, quando da saudades do Brasil, daquela que da vontade de voltar para a terrinha, a melhor coisa a fazer eh ligar na Globo Internacional e assistir o Jornal Nacional… A saudade passa rapidinho!!!

    Isso porque a gente ainda nao pega o Luiz Datena na Bandeirantes!

    Bruno.

    brunosamuel

    November 20, 2009 at 4:25 am


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: